A Nike ultrapassou a Adidas em número de seleções patrocinadas na Copa do Mundo de 2014, mas terá vantagem quando se tratar dos jogadores de maior destaque em campo. Considerando a lista de melhores do mundo da Fifa de 2013, a empresa alemã mantém mais da metade dos nomes que estarão no Mundial.

A lista do Bola de Ouro da Fifa contém 23 atletas, dos quais vinte estarão na Copa do Mundo. Desses vinte nomes, 11 são patrocinados pela Adidas, enquanto sete têm a imagem vinculada à Nike. As únicas exceções são o volante costa-marfinense Yayá Touré e o atacante Falcao García, que usam chuteiras da Puma.

Se a Nike ficou para trás nessa contagem, pelo menos manteve o número 1 da lista, Cristiano Ronaldo. Eleito o melhor jogador do mundo, o português será um dos maiores destaques da Copa do Mundo. O maior rival dele na eleição da Fifa, Lionel Messi, é a grande estrela da marca alemã. Ademais, dos cinco melhores, mais três representam a Nike, além do atleta luso: Ribéry, Neymar e Iniesta. 

Assim como acontece com as seleções nacionais e os clubes, a disputa entre Nike e Adidas pelos jogadores é acirrada. Em 2013, a disputa pelo alemão Özil, que está na lista da Fifa, levou as duas empresas à justiça, e o jogador teve que usar uma chuteira sem marca por seis meses. No fim, a Adidas conseguiu tirá-lo da rival americana.

Em relação à lista da Fifa, a Nike ainda saiu em desvantagem porque um de seus principais garotos-propaganda, o sueco Zlatan Ibrahimovic, ficou fora da Copa do Mundo. A Adidas também teve um prejuízo semelhante, já que o galês Gareth Bale ficou na mesma situação.

A disputa é relevante para as empresas de material esportivo porque o uso de imagens dos jogadores é constante durante a Copa do Mundo em propagandas, redes sociais e pontos de venda. Em abril, a Nike lançou campanha global relacionada ao Mundial. No vídeo, há o uso de diversos nomes patrocinados pela marca, como Cristiano Ronaldo, Neymar e Iniesta. A Adidas dificilmente foge dessa linha em seus comerciais.


Notícia Adidas Nike Copa do Mundo