O Sindicato dos Atletas de São Paulo mantém um curioso projeto: o Expressão Paulista, um time focado na recolocação de jogadores no mercado. Entre oscilações na sustentabilidade da equipe, o plano completou dez anos e, mais consolidado, a organização busca agora o primeiro patrocinador mais forte, um fornecedor de material esportivo.

Quem está por trás do Expressão Paulista é Luiz Eduardo Pinella, ex-zagueiro do Corinthians nos anos 1980. A ideia surgiu de uma dificuldade vivida pelo atleta após a saída do time paulista, quando não teve como manter o ritmo de jogo até achar uma nova equipe.

“Contamos hoje com um elenco de 30 jogadores. Não temos a pretensão de recolocar todos eles em novas equipes, mas sim de aumentar as chances deles quando eles estão parados”, cravou o ex-atleta à Máquina do Esporte.

O problema é que o projeto ganhou custos mais recentemente. Hoje, o Expressão tem comissão técnica, um novo campo para treinar e deslocamentos para disputar amistosos. Por outro lado, além de maior estabilidade, o time tem ganhado maior visibilidade nos últimos meses, com amistosos contra a Portuguesa e até a presença do goleiro Deola, que tinha contrato com o Palmeiras até 2016.

“Nós precisamos de verba. Um patrocínio com foco nesse lado social do projeto. E se conseguíssemos material esportivo já seria um grande negócio para o time”, explicou Pinella.

Se a estrutura de jogo está profissionalizada no Expressão, os negócios ainda são feitos de maneira pouco convencional. Hoje, o time do sindicato tem se aproximado do mercado por meio da ajuda de alguns jogadores de grandes equipes, que, de favor, levam o projeto para seus patrocinadores pessoais.


Notícia Expressão Paulista Sindicato dos Atletas