A vida dos executivos da montadora japonesa Nissan no Brasil promete mudar bastante a partir do ano que vem. Janeiro de 2013 marca a instalação da fábrica da empresa automobilística na cidade de Rezende, no Rio de Janeiro, e também o primeiro ano de preparação da marca para ser patrocinadora dos Jogos Olímpicos. A empresa é uma das cotistas locais das Olimpíadas brasileiras.

Por conta disso, uma comitiva de executivos da Nissan está em Londres para, segundo a empresa, "aprender" com o evento. Patrocinadora da Casa Brasil, centro de relacionamento criado pelo COB para receber mídia, convidados e turistas, a fabricante japonesa tem feito algumas ações de ativação de marca por Londres.

No Crystal Palace, lugar onde funciona a concentração da delegação brasileira, a fabricante tem deixado um carro elétrico para ser testado por jornalistas. Na Casa Brasil, um jantar para convidados foi oferecido na última segunda-feira. O evento, que teve a presença da reportagem da Máquina do Esporte, serviu para que os executivos da marca conhecessem jornalistas do país e, também, membros do comitê organizador dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

"Estamos aqui para conhecer e aprender. Temos olhado como funcionam os Jogos e, também, de que forma podemos nos relacionar com o evento", afirmou François Alain Dossa, diretor geral da Nissan no Brasil.

O primeiro passo dado pela marca após a assinatura do contrato do Rio-2016 foi anunciar a criação de um time de 30 atletas para serem patrocinados até os Jogos. Encabeçados por Hortência Marcari, do basquete, e Clodoaldo Silva, da natação paralímpica, o Time Nissan foi anunciado pouco antes das Olimpíadas de Londres e tem como objetivo revelar atletas para 2016, dando melhores condições de treinamento para que os jovens desenvolvam suas habilidades.

Agora, a empresa procura observar como as marcas patrocinadoras de Londres têm feito para se relacionar com os clientes e, assim, aumentar sua presença na sede dos Jogos em 2016. 

O patrocínio às Olimpíadas consegui manter a Nissan em evidência no mercado de patrocínio esportivo brasileiro, que recentemente assistiu a um importante movimento do setor automobilístico. Em 2011, a empresa não renovou a cota de patrocínio de title sponsor da Copa Sul-Americana de futebol, após um contrato de oito anos de duração.

Paralelamente, seus grandes concorrentes no mercado brasileiro ampliaram o investimento em esporte. A Kia patrocina a Copa do Brasil (title sponsor) e o Palmeiras; a Volkswagen patrocina a seleção brasileira de futebol e o atacante Neymar; a Hyundai-Kia apoia a Copa do Mundo; a Chevrolet, alguns campeonatos estaduais; e a JAC Motors, a Confederação Brasileira de Rugby (CBRu).

Em 2012, a Nissan tem aumentado sua participação no mercado automobilístico brasileiro. A marca ocupa atualmente a sexta posição em vendas no país.

* O repórter viaja a convite da Adidas


Notícia Londres 2012 Nissan Rio 2016 Olimpiadas