Foto: Reprodução / Twitter (OiSTUOpen)

A Confederação Brasileira de Skate (CBSk) e a agência e produtora Rio de Negócios anunciaram a junção do Calendário Brasileiro de Skate e da plataforma Skate Total Urbe (STU). A ideia é viabilizar, incentivar e desenvolver a prática do skate no Brasil, aproveitando a entrada do esporte nos Jogos Olímpicos a partir de Tóquio 2020. A conquista de medalhas na competição também é vista com bastante otimismo.

Com a nova plataforma, considerada a maior do mundo, serão retratados, além do esporte em si, tudo que o circunda, como artes visuais, moda, audiovisual e música. Shows, oficinas e galerias de arte estarão lado a lado com o público ao longo de todo o calendário.

“Fazia tempo que o Brasil precisava ter uma posição de destaque no circuito dos grandes eventos internacionais, já que temos grandes nomes e campeões mundiais em várias modalidades. Além do mais, atualmente, com a entrada do skate nos Jogos Olímpicos, a gente precisa ter um calendário forte de competições das modalidades olímpicas, Street e Park, e conseguimos isso com a viabilização da plataforma STU, que dará espaço para muito mais skatistas brasileiros, e também será o principal critério para formar a nossa seleção brasileira”, explicou Bob Burnquist, heptacampeão da Megarrampa, maior medalhista do X-Games e atual presidente da CBSk.

“O skate nacional tem mostrado nos últimos meses a sua capacidade de mobilização e colaboração. Desde a chegada do Bob à presidência da CBSk, passando pela legitimação da mesma pelo COB, Ministério dos Esportes e World Skate, a união de todos os que trabalham em prol do skate tem permitido cada vez mais sonharmos e pensarmos grande. Essa união com a CBSk faz da plataforma STU um caso único no mundo, garantindo ao skate brasileiro e seus atletas protagonismo nacional e internacional”, afirmou Diogo Castelão, sócio-diretor da Rio de Negócios.

O STU QS 2018 contempla as dez principais etapas do Calendário Brasileiro de Skate da CBSk, nas modalidades Street e Park, masculino e feminino, e será a principal competição nacional a somar pontos para o ranking da Confederação, que formará a Seleção Brasileira de Skate de 2019.

Quatro atletas masculinos e quatro femininos de cada modalidade farão parte da seleção, totalizando 16 skatistas. Em 2018, a escolha dos skatistas integrantes da Seleção Brasileira será feita exclusivamente através do comitê técnico e será anunciada pela CBSk no mês que vem.

Das cinco etapas de cada modalidade, quatro serão qualificatórias e acontecerão entre março e outubro por seis Estados do país (RJ, SC, RS, MA, SP e CE), mais o Distrito Federal. Já a quinta e última etapa das duas modalidades será realizada em novembro, no Rio de Janeiro, no Oi STU Open 2018, onde serão conhecidos os integrantes da Seleção Brasileira de Skate do próximo ano.

Foto: Reprodução / Twitter (OiSTUOpen)

Para se ter uma ideia, o Oi STU Open do ano passado, realizado em uma competição única, reuniu mais de 230 skatistas, de mais de 15 países. O público durante os cinco dias de disputas ultrapassou 100 mil pessoas, e mais de 6 milhões foram impactadas nas redes sociais. Além disso, cerca de 60 reportagens foram veiculadas entre jornal, televisão e internet, e houve um retorno de mídia espontânea acima de R$ 50 milhões.

“O skate é um dos esportes mais democráticos, que aproxima pessoas, culturas e classes, seja para explorar e dar novos significados ao espaço urbano, para ampliar o repertório de mundo ou para criar e disseminar diferentes manifestações da cultura de rua. A companhia acredita que o skate ganhará ainda mais popularidade nos próximos anos, por integrar os Jogos Olímpicos de 2020 e por potencialmente ter chances de trazer medalhas para o nosso país. O Oi STU Open foi criado no ano passado para dar a oportunidade a esses atletas de competirem no Brasil em nível internacional. Em 2018, o objetivo foi expandir ainda mais, incluindo a modalidade Park e, consequentemente, aumentando ainda mais a relevância mundial da plataforma”, resumiu Bruno Cremona, gerente de patrocínios e eventos da Oi, que assina os naming rights da competição e é a empresa que mais investe em skate no país.


Notícia Skate STU Open Skate Total Urbe Oi Jogos Olímpicos Tóquio 2020 Street Park