O Comitê Olímpico Internacional admitiu que as eleições para os Jogos Olímpicos de 2016 e 2020 podem ter sido fraudadas. A entidade soltou um comunicado para afirmar que está comprometida em “proteger a integridade do esporte”.

Segundo a entidade, existe uma investigação interna, com os advogados do comitê em contato com as autoridades brasileiras, para avaliar se houve de fato compra de votos para eleger o Rio de Janeiro sede dos Jogos Olímpicos.

O posicionamento acontece após a divulgação da operação “Unfair Play”, que chegou a intimar o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, a depor sobre o assunto.  

Junto com autoridades francesas, a operação da Polícia Federal chegou ao elo entre o dirigente brasileiro e ex-presidente da IAAF (Associação Internacional das Federações de Atletismo), Lamine Diack. Para colocar o Rio nos Jogos, teria existido uma transferência de US$ 2 milhões para compra de voto.


Notícia COI Nuzman Gestão

Número do dia

10 milhões

de reais espera faturar o São Paulo com o aluguel do estádio do Morumbi para shows musicais no segundo semestre deste ano.

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Adidas supera Jordan e persegue Nike em vendas de tênis nos EUA
2Relatório: Quase metade das franquias da NBA perde dinheiro
3Neymar vende 4 mil camisas por dia desde que chegou ao PSG
4COB apresenta Peak, que premiará atletas com medalhas
5Análise: PSG não conseguirá mensurar sucesso de Neymar
6Máquina promove "Café com Medalha" na Bahia
7Trio Alimentos fecha com principal prova de ciclismo da América Latina em SP
8Nike lança novas camisas da NBA e inova com aplicativo conectado
9Ministério do Esporte terá corte de 87% do orçamento, diz blog
10Fluminense celebra números em série de ações nas redes