A CBF anunciou na quarta-feira uma nova parceria para negociar os direitos de televisão da seleção brasileira. A entidade fechou com a agência Synergy Football, que passará a comercializar os jogos do time nacional. O acordo abrange o período de novembro deste ano até a Copa do Mundo de 2022.

A confederação afirmou que passará os detalhes do novo acordo em breve e que a entidade trabalhará com a agência para “organizar um processo aberto e transparente”.

“A diretoria da CBF consultou muitas agências especializadas, fez um exaustivo processo de entrevistas e negociações e optou pela Synergy por sua experiência global e, especialmente, por sua atuação em vendas para a mídia brasileira, onde ela representou por muito tempo os principais campeonatos europeus, entre eles a Champions League”, explicou o presidente da confederação, Marco Polo Del Nero, em nota divulgada no site da entidade.

Com a medida, a CBF terceiriza a venda de direitos de televisão dos amistosos do time e das partidas das Eliminatórias da Copa do Mundo, quando o time brasileiro for o mandante durante a disputa sul-americana.

A empresa escolhida, Synergy Football, é sediada na suíça e comandada por Patrick Murphy, antigo diretor executivo da Team, agência que tinha exclusividade da Uefa para comercializar direitos de transmissão dos torneios europeus.

Dessa maneira, a CBF termina a experiência realizada neste ano, quando vendeu os direitos de transmissão por conta própria. No fim de 2016, foi encerrado o contrato da Globo para os amistosos da seleção brasileira. A emissora manteve apenas as Eliminatórias para a Copa de 2018, na Rússia.

Sem a parceria da Globo, a CBF resolveu inovar. Nos amistosos da seleção brasileira contra a Argentina e contra a Austrália, a própria confederação fez a produção das transmissões. Sem uma grande emissora, a entidade liberou o sinal para a TV Cultura e para a TV Brasil. Na televisão, conseguiu audiência que ficou longe do alcançado normalmente pela Globo, com Ibope inferior a 3 pontos de média.

A iniciativa, por outro lado, serviu para a CBF alimentar parcerias comerciais. Itaú e Vivo, patrocinadores da seleção, tiveram o direito do sinal para divulgar as partidas em suas plataformas online. Além disso, a entidade liberou o sinal na CBF TV.


Notícia CBF Synergy Football Direitos de Transmissão

Número do dia

206 milhões

De reais é a renda bruta de bilheteria da Arena Corinthians desde a sua inauguração, antes da Copa de 2014.

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Com Corinthians, Spotify esquenta briga entre aplicativos
2Dez empresas disputarão licitação para gerir comercializações da Conmebol
3Patrocinadora, Evonik compra parte de Borussia Dortmund por R$ 80 milhões
4 CBF confirma criação da Série D
5Vereador apresenta projeto de lei para São Paulo não perder CT em 2022
6Unicred faz 1ª campanha publicitária com Cesar Cielo
7Mayweather cobrará 25 milhões de dólares por uso de espaço em suas roupas
8Tom Brady esconde logotipo da Nike e reativa batalha de marcas na NFL
9Com investidores, Michael Jordan e Derek Jeter compram Miami Marlins
10Análise: Conhecer o cliente é a próxima tarefa dos clubes no Brasil