O Bradesco irá abrir seu calendário de esporte com mais uma edição do Super Desafio BRA de judô. Dessa vez, o evento será em Osasco, no ginásio que leva o nome do banco.

Essa será a maneira da companhia celebrar o contrato com a Confederação Brasileira de Judô que, após os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, foi renovado até 2020, para os Jogos de Tóquio.

O Super Desafio BRA terá transmissão pelo Sportv, mas os atletas não foram definidos ainda. Eles serão escolhidos uma hora antes do evento, entre os 27 judocas classificados pela Seletiva Tóquio 2020. Cinco irão participar do encontro, que acontecerá no próximo sábado.

“O Bradesco apoia a modalidade desde 2010, pois acreditamos no poder transformador do esporte”, comentou Márcio Parizotto, diretor de marketing do Bradesco.

Nas arquibancadas, estarão presentes crianças do Lotação Esgotada, projeto social que incentiva a prática do judô entre crianças e adolescentes de escolas públicas.

Quem for ao ginásio de Osasco receberá camisas e brindes, além de um guia para acompanhar a modalidade. Os torcedores poderão também ser chamados para aprender golpes no tatame montado na cidade paulista.


Notícia Bradesco Judô CBJ

Número do dia

R$ 510 mi

Foi a arrecadação do Flamengo em 2016; cerca de 60% desse valor foi com verba de televisão (R$ 297 milhões)

Autoline

Patrocinado por


Banner

Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Por entrega a parceiros, Globo reforça Cartola
2Adidas perde para marca dinamarquesa a bola da Bundesliga
3Combate muda conteúdo para sair de nicho e crescer
4Peugeot apresenta carro com a marca de Roland Garros
5Adidas faz campanha online por uniforme do Flamengo
6Casa Palmeiras terá presença e ídolo e transmissão de jogo da Libertadores
7Análise: Marketing precisa coibir o marqueteiro
8Internacional põe sócios-torcedores para entregar camisa a reforço
9No meio do jogo, Neymar troca chuteira feita pela Nike exclusivamente para ele
10Com preços mais baixos, paulistas passam a dominar sócio-torcedor