Leco e os representantes de Intermedium e  MRV

O Banco Intermedium assinou com o São Paulo um contrato de patrocínio máster válido por três anos. Até junho de 2020, a camisa do clube do Morumbi irá exibir o logo da instituição financeira.

Desde janeiro, o Intermedium ocupava também a parte traseira. Pelo acordo, a MRV Engenharia, empresa do mesmo grupo, irá estampar sua marca no ombro do uniforme.

O acordo, que depende de aprovação do Conselho Deliberativo do clube, entra em vigor a partir de junho, quando a Corr Plastik, que hoje ocupa o espaço, deixará a camisa.

“É uma parceria que traduz a confiança no São Paulo e que produzirá resultado em benefício de todos. Vão ganhar o São Paulo, o Banco Intermedium e a MRV”, afirmou Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, presidente do São Paulo.

A ideia do Banco Intermedium, com a ampliação da parceria é também amplificar seu negócio. Anteriormente um banco regional, voltado para empréstimos a grandes investidores, a empresa passou a trabalhar de maneira nacional com o varejo.

“O Banco Intermedium passa por um momento fundamental da sua história de 22 anos. Temos grandes desafios pela frente: democratizar o acesso ao sistema financeiro no país e mudar a forma como as pessoas pensam e se relacionam com os bancos. A associação da imagem da companhia a um clube da grandeza do São Paulo é um passo muito relevante da estratégia de tornar a nossa marca mais conhecida”, afirmou João Vitor Menin, presidente do banco.

A MRV também destacou a visibilidade nacional que a empresa irá adquirir com a exposição na camisa do São Paulo.

“Mais uma vez, a companhia aposta no futebol como uma forma de aproximação com nosso mercado consumidor que, assim como o esporte, é muito democrático. Neste período do ano,  os clubes têm que se reforçar para os diversos campeonatos e já estamos nos posicionando nessas parcerias”, comentou Rodrigo Resende, diretor de comunicação, marketing e vendas da MRV, que já possui acordos semelhantes com Atlético-MG, Flamengo, América-MG, Santa Cruz, Fortaleza, Novo Hamburgo, Serra-ES e América de Teófilo Otoni-MG.


Notícia São Paulo Banco Intermedium São Paulo MRV Engenharia Patrocínio

Número do dia

206 milhões

De reais é a renda bruta de bilheteria da Arena Corinthians desde a sua inauguração, antes da Copa de 2014.

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Com Corinthians, Spotify esquenta briga entre aplicativos
2Dez empresas disputarão licitação para gerir comercializações da Conmebol
3Vereador apresenta projeto de lei para São Paulo não perder CT em 2022
4Patrocinadora, Evonik compra parte de Borussia Dortmund por R$ 80 milhões
5Mesmo com estatuto, São Paulo tem novo escândalo
6Neymar coloca Ligue 1 no topo da audiência da TV fechada
7 CBF confirma criação da Série D
8Dono do Manchester City negocia compra time na Espanha
9Com investidores, Michael Jordan e Derek Jeter compram Miami Marlins
10TOP 10 – Os dez clubes de maior destaque na última década