Reprodução / Twitter (@ASICSUK)

A Asics fechou seu ano fiscal com um faturamento de pouco mais de 3 bilhões de euros. O número aponta para um aumento mínimo de apenas 0,3% em relação ao ano anterior, em que as vendas haviam caído 7%. Apesar de pequeno, o crescimento foi comemorado pela marca japonesa, em especial porque a tendência de 2017 era bastante negativa. A empresa, no entanto, se mantém preocupada com os lucros obtidos.

De acordo com os números divulgados, a Asics teve um lucro operacional de cerca de 147,5 milhões de euros, queda de 23,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. Quando o assunto é lucro líquido, o decréscimo foi ainda maior, 29,7%, para 33,2 milhões de euros.

Segundo a própria Asics, um dos motivos para a queda nos lucros é que a marca “estabeleceu como meta expandir sua base de consumidores e aumentar as vendas desenvolvendo suas próprias lojas de varejo conceituais”.

Um dos exemplos foi o lançamento de uma loja na Regent Street, uma das mais comerciais e emblemáticas ruas de Londres, que demandou um gasto razoável para a empresa. A novidade da loja é que, pela primeira vez, o cliente poderá encontrar as marcas Asics, Asics Tiger, Onitsuka Tiger e Hagölfs sob o mesmo teto.

Com relação ao pequeno aumento nas vendas, a Asics admitiu que “a indústria de artigos esportivos permaneceu estável graças a um alto interesse nos esportes devido ao aumento da conscientização da saúde”. No caso específico da marca japonesa, quem ajudou na estabilidade em 2017 foram os mercados emergentes.

Na região que compreende o Sudeste Asiático e a Oceania, houve um aumento de pouco mais de 15% nas vendas, chegando a mais de 208 milhões de euros. O principal motivo foi a busca incessante por tênis de corrida e também da marca Onitsuka Tiger.

Outro mercado que ajudou foi o leste da Ásia, que teve um crescimento de 13% nas vendas, para cerca de 370 milhões de euros. A “culpa” é da China e da grande demanda no país por tênis de corrida. De forma contraditória, os números na região só não são maiores por conta do Japão, casa da Asics e seu maior mercado. No país, o faturamento com vendas foi 0,4% menor, alcançando quase 900 milhões de euros.

O volume de negócios também caiu na América (6%, para 799 milhões de euros) e na Europa (1,2%, para 800 milhões de euros). Nos dois casos, a Asics creditou a queda à estagnação do mercado e à grande concorrência com marcas como Nike, Adidas, Puma e Under Armour.

Em 2018, o objetivo da marca japonesa é, obviamente, aumentar suas vendas e conseguir reverter os números decrescentes com relação aos lucros. Para isso, começou o ano com 876 lojas próprias espalhadas pelo mundo inteiro.


Notícia Asics vendas faturamento lucro marca empresa japonesa