É louvável que o COI (Comitê Olímpico Internacional) corte na própria carne para tentar resgatar a credibilidade e os valores do esporte. Para quem defende uma competição mais justa e limpa, a suspensão da Rússia dos Jogos de Inverno de Pyeongchang, na Coreia do Sul, não chega a surpreender. Mas é uma pena que seja assim.

A punição russa é mais um capítulo do longo histórico recente de suspensões impostas à nação que sediou a última edição da Olimpíada de Inverno, em Sochi 2014. E que, no ano que vem, abrigará a Copa do Mundo da Fifa. Em que pese seus métodos escusos, a Rússia ainda ostenta um lugar entre as quatro maiores potências olímpicas do mundo. Fará falta.

Na Olimpíada do Rio 2016, o país foi impedido de disputar o atletismo. Para os Jogos Paralímpicos, o comitê internacional foi ainda mais duro: vetou todos os atletas russos de participar.

A punição do atletismo foi mantida no Mundial de Londres, realizado em agosto. Já seu equivalente no levantamento de peso, encerrado nesta terça-feira, nos Estados Unidos, também baniu a Rússia. Cresce a incerteza sobre a participação do país em Tóquio 2020.

Apesar da punição merecida, seria muito mais eficaz que os organismos internacionais, com a Agência Mundial Antidoping à frente, realizassem exames rígidos e efetivos. É preciso que esse trabalho seja apoiado pelas federações internacionais de cada modalidade.

Embora tenha praticado deliberadamente o doping como política de Estado, não é justo retirar dos atletas russos limpos (e eles devem existir!) o direito de representar o país e ouvir seu hino no alto do pódio. 


Notícia Jogos de Inverno Olimpíada Pyeongchang Rússia Doping Punição

Número do dia

350 mil

euros deve receber cada jogador da Alemanha por uma eventual conquista da Copa do Mundo de 2018, disse a federação alemã.

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Fifa ameaça tirar a Espanha da Copa do Mundo de 2018
2Bundesliga cria regra, e clubes terão funcionários dedicados aos torcedores
3Disney compra parte da Fox em transação bilionária e cresce no esporte
4Globo bate recorde de audiência no RJ com o Flamengo
5Corinthians amplia contrato com a Nike até 2029
6Análise: Fox decide abrir mão de briga do streaming
7TOP 10 – Os dez clubes de maior destaque na última década
8Arena de Pernambuco será palco do primeiro jogo do Barcelona no Brasil
9Puma vibra com conquista do Independiente na Sul-Americana
10Estados Unidos querem ser sede permanente de Copa América