Aos poucos, a indústria do esporte no Brasil começa a mostrar alguns níveis maiores de maturidade em relação ao que havíamos experimentado há cerca de uma década, antes de os megaeventos entrarem em nossa rota.

Passada a euforia de Copa e Olimpíadas, o que fica é uma indústria um pouco mais madura, com uma visão mais clara do que pode ser oferecido para quem investe num patrocínio.

O caso do banco Inter, que usará o São Paulo para turbinar sua lista de correntistas, é ótimo exemplo de ação que não demanda muito esforço e que pode obter um ótimo resultado.

Ainda há algumas aberrações, como o comportamento de uma Crefisa no Palmeiras, ou patrocinadores que ainda se contentam apenas com a exposição de marca. Mas, via de regra, o que o Brasil exibe hoje são diversas tentativas de fazer um patrocínio ser o que precisa: um apoio ao patrocinado, mas que gere retorno a quem investe.

Há uma semana, Duda Lopes, de Boston, trouxe uma visão interessante de um especialista americano. Vivemos, hoje, uma indústria que era a realidade americana de duas décadas. Esse atraso começa a ser tirado pela melhoria no nível do profissional dentro do mercado de esporte. Temos, em clubes e confederações, gente muito mais preparada do que tempos atrás.

E a tendência, no futuro, é de uma melhora ainda maior no mercado. O esporte sabe, hoje, que precisa inventar formas de gerar receita para pagar uma estrutura cada vez mais cara.

A maturidade vem a fórceps. Seja na criação de um cartão exclusivo para o torcedor de um clube, seja no aumento de programas como o sócio-torcedor. O negócio do esporte no Brasil é, hoje, melhor do que há cinco anos.


Notícia Banco Inter São Paulo Ativação Mercado

Número do dia

120 mi

De libras receberá Lewis Hamilton pela renovação com a Mercedes por mais três anos

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1'Limpo', Tite fecha contrato com Cimed
2Nike dá tênis comemorativo a jogadores do Corinthians
3Grêmio repete audiência da final da Copa do Brasil
4Análise: Esporte não pode ter medo de ganhar dinheiro
5Esporte lucra em feriado nos Estados Unidos
6LBF acerta com fornecedor de material AND1
7Meltex leva exposição do Palmeiras ao interior
8Em festa, Paraná deixa torcedor escolher preço de ingresso
9Atlético Mineiro e Topper celebram marca de sócios
10 Globo fecha com Banco Real para F-1