Apesar da oposição dos clubes europeus, a Fifa deve oficializar o inchaço da Copa do Mundo para 48 seleções. Por trás de um incremento de 50% no número de participantes está a promessa de tornar o Mundial mais atraente em nível global.

Com mais países, os direitos de TV serão mais caros. Para a Fifa, a presença de países superpopulosos na Copa como China e Índia servirá para abrir fronteiras e aumentar a arrecadação com patrocinadores.

Por trás da iniciativa também está uma promessa de campanha de Gianni Infantino de dar mais peso à periferia da bola. Afinal, nações hoje fora da elite terão a chance de disputar o primeiro Mundial. Segundo o site “Terra”, caso tivesse sido implantado para a Copa de 2014, Uzbequistão, Qatar, Jordânia, Omã, Etiópia, Burkina Faso, Panamá, Venezuela e Islândia teriam estreado no torneio.

A opção eleitoreira de Infantino não é algo novo na Fifa. Em 1974, João Havelange foi eleito com a promessa de elevar o número de seleções de 16 para 24 a partir de 1982. Com isso, abriu mais vagas para África e Ásia, seus principais cabos eleitorais. Ao ser empossado, Joseph Blatter aumentou em 33% no número de participantes do Mundial de 1998.

No limite, a Copa com 48 países pode despertar mais interesse da torcida e arrecadação aos cofres da entidade. Mas o nível técnico irá desabar. Como atração esportiva, o Mundial perde valor.


Notícia Copa do Mundo Gestão

Número do dia

R$ 151 mi

Faturou o Palmeiras nos quatro primeiros meses deste ano; valor é R$ 39,5 milhões maior em relação a 2016.

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Análise: Patrocínio não é grana no fim do mês
2Fluminense e Palmeiras atualizam mascotes para novas realidades
3Adidas desiste de renovar, e NBA terá novo fornecedor a partir de 2017
4Por torcedores, Santos inaugura sub-sede em São Paulo
5CSM Brasil inaugura camarote de luxo no Allianz Parque
6Apostador ganha R$ 385 mil de forma antecipada por apostar em título do Leicester
7Bilionário Soros compra 1,9% do Manchester United
8Contra pirataria, Nike faz acordo com Amazon
9Adidas customizará tênis com fotos de Instagram a partir de agosto
10Nike confirma acordo com a NBA e substituirá Adidas em 2017