O início de mais uma edição da Liga dos Campeões da Uefa marca também uma dura realidade para o mercado brasileiro. Com a consolidação do torneio europeu e a nossa incapacidade de fazer do futebol um produto mais acessível a todos, é mais eficaz, para uma marca, apostar em ativar a Liga no Brasil do que buscar uma propriedade para trabalhar por aqui.

Por que uma marca apostaria num patrocínio à Copa do Brasil em vez da Liga dos Campeões? Além de poder trabalhar globalmente nas ativações do evento, o benefício envolve um ponto que beira o ridículo na nossa incompetência em gerir o futebol.

No último dia 7 de setembro, em pleno feriadão da Independência, Flamengo e Cruzeiro deram início à final da Copa do Brasil. Era o único evento do dia no futebol brasileiro. E, para atender aos interesses da televisão, a CBF aceitou transmitir o jogo a partir das 21h45... Ou seja, quando tínhamos uma partida de enorme apelo ao público, em pleno feriado, mantivemos o horário determinado pela TV, em vez de pensar na melhor promoção do futebol brasileiro ao público.

A própria Uefa percebeu, anos atrás, que para a melhor divulgação da Liga era interessante fazer a final, antes no meio de semana, num sábado à tarde.

O jogo passou a ser consumido ainda mais pelos jovens, além de as marcas terem a oportunidade de fazer as suas ativações com mais qualidade.

Enquanto o Brasil não pensar em fazer de seu futebol um produto, vamos ser atropelados pelo bom trabalho dos europeus. E, assim, será cada vez mais óbvio procurar a Uefa para conversar sobre patrocínio.

A Liga dos Campeões é muito mais eficiente que qualquer patrocínio no Brasil atualmente.


Notícia Marketing Patrocínio Nissan Liga dos Campeões Uefa

Número do dia

10 milhões

de reais espera faturar o São Paulo com o aluguel do estádio do Morumbi para shows musicais no segundo semestre deste ano.

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Adidas supera Jordan e persegue Nike em vendas de tênis nos EUA
2Relatório: Quase metade das franquias da NBA perde dinheiro
3Neymar vende 4 mil camisas por dia desde que chegou ao PSG
4COB apresenta Peak, que premiará atletas com medalhas
5Análise: PSG não conseguirá mensurar sucesso de Neymar
6Máquina promove "Café com Medalha" na Bahia
7Trio Alimentos fecha com principal prova de ciclismo da América Latina em SP
8Nike lança novas camisas da NBA e inova com aplicativo conectado
9Ministério do Esporte terá corte de 87% do orçamento, diz blog
10Fluminense celebra números em série de ações nas redes