O início de mais uma edição da Liga dos Campeões da Uefa marca também uma dura realidade para o mercado brasileiro. Com a consolidação do torneio europeu e a nossa incapacidade de fazer do futebol um produto mais acessível a todos, é mais eficaz, para uma marca, apostar em ativar a Liga no Brasil do que buscar uma propriedade para trabalhar por aqui.

Por que uma marca apostaria num patrocínio à Copa do Brasil em vez da Liga dos Campeões? Além de poder trabalhar globalmente nas ativações do evento, o benefício envolve um ponto que beira o ridículo na nossa incompetência em gerir o futebol.

No último dia 7 de setembro, em pleno feriadão da Independência, Flamengo e Cruzeiro deram início à final da Copa do Brasil. Era o único evento do dia no futebol brasileiro. E, para atender aos interesses da televisão, a CBF aceitou transmitir o jogo a partir das 21h45... Ou seja, quando tínhamos uma partida de enorme apelo ao público, em pleno feriado, mantivemos o horário determinado pela TV, em vez de pensar na melhor promoção do futebol brasileiro ao público.

A própria Uefa percebeu, anos atrás, que para a melhor divulgação da Liga era interessante fazer a final, antes no meio de semana, num sábado à tarde.

O jogo passou a ser consumido ainda mais pelos jovens, além de as marcas terem a oportunidade de fazer as suas ativações com mais qualidade.

Enquanto o Brasil não pensar em fazer de seu futebol um produto, vamos ser atropelados pelo bom trabalho dos europeus. E, assim, será cada vez mais óbvio procurar a Uefa para conversar sobre patrocínio.

A Liga dos Campeões é muito mais eficiente que qualquer patrocínio no Brasil atualmente.


Notícia Marketing Patrocínio Nissan Liga dos Campeões Uefa

Número do dia

9 milhões

de reais é o valor estimado dos aparelhos de ginástica que foram instalados no Parque Olímpico e serão usados por atletas profissionais.

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Por reputação mundial, Petrobras retorna à F1 com a McLaren
2Bayern de Munique substitui parceria com Lufthansa por Qatar Airways
3Brasil Open fecha com quatro emissoras
4Análise: Neymar não precisava de acordo com a Globo
5Cruzeiro resgata apelido e faz campanha por Libertadores
6Jogos de Inverno terão maior transmissão da história no Brasil
7Fundo chinês assume controle do grupo multimídia Mediapro
8Santos refaz acordo com Umbro, que vestirá clube até 2020
9Rede de fast-food argentina fecha com AFA para Copa do Mundo
10SporTV e Samsung fazem parceria e terão aplicativo em 4K para Copa 2018