Nesta terça-feira (dia 8), em 2008, acontecia a abertura da Olimpíada de Pequim. Nove anos depois, a história mais espetacular do esporte foi a contratação de Neymar pelo PSG.

O que uma coisa tem a ver com a outra? Muito.

Quem esteve em Pequim 2008 aponta o evento como o mais espetacular da história. Houve um investimento maciço de US$ 43 bilhões (quase o triplo do que foi gasto em Atenas 2004) para a construção de uma infraestrutura invejável.

O conjunto de edificações passava pela sofisticada Vila Olímpica, pelo conjunto residencial com torres de quase 40 andares na Vila da Mídia e desaguava nas duas arenas mais icônicas do evento: o Cubo D’Água e o Ninho do Pássaro. Por uma confluência dos astros, foi ali que Michael Phelps e Usain Bolt, escreveram as passagens mais brilhantes de suas carreiras.

Pequim 2008, porém, gerou um nível de exigência difícil de atender. Sochi 2014 gastou ainda mais: US$ 50 bilhões. Potências olímpicas, de esportes de verão ou inverno, como Noruega, Suécia, Suíça, Alemanha e Itália, desistiram de candidaturas a sede nos anos seguintes.

Na última sexta, o PSG anunciou Neymar. De novo o que chamou a atenção foi o montante envolvido. Na maior transação da história, o clube pagou R$ 818,5 milhões pelo brasileiro.

A transação mostra que um novo patamar econômico foi atingido pelo futebol (assim como ocorreu com a Olimpíada). Embora possa ser punido pelo fair play financeiro, o PSG revela que a nova configuração esportiva do mundo da bola concentra ainda mais o dinheiro nas mãos de poucos times. Isso afeta diretamente a competitividade dos torneios, algo que será prejudicial ao negócio do futebol como um todo.


Notícia Paris Saint-Germain Pequim 2008 Olimpíada Neymar PSG

Número do dia

206 milhões

De reais é a renda bruta de bilheteria da Arena Corinthians desde a sua inauguração, antes da Copa de 2014.

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Com Corinthians, Spotify esquenta briga entre aplicativos
2Dez empresas disputarão licitação para gerir comercializações da Conmebol
3Patrocinadora, Evonik compra parte de Borussia Dortmund por R$ 80 milhões
4 CBF confirma criação da Série D
5Vereador apresenta projeto de lei para São Paulo não perder CT em 2022
6Unicred faz 1ª campanha publicitária com Cesar Cielo
7Mayweather cobrará 25 milhões de dólares por uso de espaço em suas roupas
8Tom Brady esconde logotipo da Nike e reativa batalha de marcas na NFL
9Com investidores, Michael Jordan e Derek Jeter compram Miami Marlins
10Análise: Conhecer o cliente é a próxima tarefa dos clubes no Brasil