O recorde de audiência de Palmeiras x Corinthians na última quarta-feira é a síntese de um dos maiores problemas que o Brasileirão tem para decolar como um produto de fato nacional.

No fim dos anos 90, quando a Globo aumentou o valor e passou a ter exclusividade na transmissão dos jogos, adotamos o critério de regionalização da transmissão do futebol no país.

Numa época em que Silvio Santos e Gugu formavam uma poderosa tabelinha que chegava a liderar a audiência, a Globo teve no futebol sua tábua de salvação. Os domingos passaram a ter mais jogos às 16h, sempre com apelo para cada praça de exibição.

Quase 20 anos depois, a fórmula não mudou. Mas o comportamento do público, sim. O futebol já não tem o mesmo peso para gerar audiência, e a Globo não é mais ameaçada.

Mesmo assim, a escolha dos jogos da TV segue o mesmo critério de antes. O futebol precisa ser regional. Não há possibilidade de um grande jogo de apelo nacional ser exibido para todo o Brasil. Nem mesmo a disputa para definir o time campeão tem transmissão ao vivo em todo o território nacional.

Isso derruba o Brasileirão como produto. A cultura do torcedor é a rivalidade regional. Só é possível à elite que tem condições de pagar pelo PPV ver de fato o Campeonato Brasileiro.

O futebol brasileiro precisa entender o conceito de um torneio nacional.

Nesta semana, a NFL divulgou uma arrecadação recorde de US$ 7,5 bilhões. O motivo? O novo acordo de TV para a transmissão dos jogos da quinta-feira à noite, que valorizou-se em 50%. Um único jogo por semana, exibido em rede nacional, gera o valor total pago pelos direitos do Brasileiro.

Quando isso irá mudar por aqui?


Notícia Corinthians Palmeiras Globo Futebol Audiência Brasileirão

Número do dia

R$ 151 mi

Faturou o Palmeiras nos quatro primeiros meses deste ano; valor é R$ 39,5 milhões maior em relação a 2016.

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Análise: Brasileirão pode virar subproduto até no Brasil
2Análise: Chelsea errou duas vezes com jovem brasileiro
3CBF ignora Maracanã, e seleção volta a jogar em São Paulo
4TOP 10 – Os dez clubes de maior destaque na última década
5Aston Martin negocia com Fórmula 1, mas força custos menores
6Puma registra aumento de vendas em 2017
7Nos Estados Unidos, Allianz fecha mais um estádio
8Por internacionalização, La Liga faz parceria com rede de hotéis
9Para ativar temporada, La Liga lança promoção
10Atlético Paranaense premia sócios para mostrar nova camisa