A Amstel lançou na quinta-feira a primeira campanha publicitária com a Libertadores de fundo. E a marca da Heineken resolveu exaltar as particularidades do torneio sul-americano, em detrimento do espírito europeu, mais elitizado, de assistir ao futebol.

“Isso daqui não é um torneio europeu”, avisa o narrador. “É tudo mais barulhento, mais colorido. E os jogadores dão a vida em campo”. O vídeo roda imagens características do torneio, desde os bandeirões até os jogadores recebendo oxigênio em campo, cena comum nas partidas realizadas na altitude da Cordilheira dos Andes.

O vídeo será divulgado na televisão aberta e fechada, além de mídia exterior em diversas capitais do Brasil. A campanha terá a assinatura “Na Libertadores, vai de Amstel que não tem erro”.

Ao longo da última década, a Heineken ampliou a identificação com a Liga dos Campeões graças a diversas campanhas e ativações. A Amstel, marca do grupo, irá reforçar a ideia de que a empresa está conhecendo o público sul-americano. Por isso, a narração da campanha é o recado de um torcedor para a empresa.

“Apostamos muito no campeonato para reforçar a construção da marca no Brasil, que foi muito receptivo com a Amstel. Até 2020, vamos ter muita história para contar. Como este é o primeiro ano de patrocínio, nada mais justo que aprender com os fãs”, comentou o diretor de marcas da Heineken, Eduardo Picarelli, em nota.

Além da campanha, a Amstel terá uma embalagem personalizada com o logotipo da Libertadores. As latas do torneio passarão a ser distribuídas neste mês em alguns mercados, como São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

A marca de cerveja, é verdade, demorou para fazer uma grande ação com a Libertadores. O contrato com a Conmebol foi assinado em março deste ano, em acordo válido pelos próximos quatro anos.

A Heineken apostou na marca Amstel, também holandesa, por entender que ela teria mais espaço no mercado da América Latina. Essa, no entanto, não foi a primeira experiência da empresa com a Libertadores. Entre 2011 e 2012, o grupo usou a Kaiser para fazer aporte ao torneio sul-americano.

Nos últimos meses, a Conmebol tem tentado valorizar o torneio. A disputa ganhou um novo logotipo e passou a ser disputada ao longo dos anos, sem se restringir ao primeiro semestre, como aconteceu nas últimas temporadas.


Notícia Amstel Libertadores Publicidade

Número do dia

206 milhões

De reais é a renda bruta de bilheteria da Arena Corinthians desde a sua inauguração, antes da Copa de 2014.

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Com Corinthians, Spotify esquenta briga entre aplicativos
2Dez empresas disputarão licitação para gerir comercializações da Conmebol
3Patrocinadora, Evonik compra parte de Borussia Dortmund por R$ 80 milhões
4 CBF confirma criação da Série D
5Vereador apresenta projeto de lei para São Paulo não perder CT em 2022
6Unicred faz 1ª campanha publicitária com Cesar Cielo
7Mayweather cobrará 25 milhões de dólares por uso de espaço em suas roupas
8Tom Brady esconde logotipo da Nike e reativa batalha de marcas na NFL
9Com investidores, Michael Jordan e Derek Jeter compram Miami Marlins
10Análise: Conhecer o cliente é a próxima tarefa dos clubes no Brasil