Dustin Johnson, número 1 do ranking do golfe

No duelo pela supremacia do mercado mundial de material esportivo, Adidas e Nike decidiram, nos últimos meses, se livrar de negócios deficitários ou pouco lucrativos para centrar seus esforços nas áreas com perspectiva de lucros maiores.

Assim, a marca americana abriu mão da divisão de golfe. Na mesma toada, a rival alemã se desfez dos negócios na modalidade. Seu último movimento foi abrir mão do hóquei.

Na semana passada, a Adidas divulgou a venda da CCM Hockey por US$ 110 milhões (R$ 344 milhões) ao fundo canadense de investimento Birch Hill Equity Partners, que assume a empresa até setembro. O mercado estimava que a venda atingissse € 160 milhões (R$ 588 milhões).

“A CCM e seus empregados deram grandes contribuições à nossa companhia e temos plena confiança de que a marca continuará crescendo com êxito sob seus novos proprietários”, disse Karper Rorsted, CEO da Adidas.

“A saída da CCM reflete ainda mais o compromisso com nossa estratégia”, acrescentou o executivo, referindo-se ao plano de priorizar calçados e roupas vinculadas às marcas Adidas e Reebok.

 

Painel da TaylorMade com principais astros que usam seus equipamentos

 

Um dos ativos mais importantes desse acordo é o contrato assinado com a NHL, que entrará em vigor na próxima temporada e vai até 2025-2026. Além disso, a CCM também contratou Connor McDavid, do Edmonton Oilers e um dos astros da NHL, para integrar o time de embaixadores da marca.

O movimento é similar ao que ocorre no golfe. A Nike decidiu deixar a fabricação de equipamentos em janeiro por considerar o setor oneroso e com baixa perspectiva de mercado.

Tiger Woods em anúncio de bolas da Bridgestone

No entanto, manteve Tiger Woods em seu time de embaixadores. Neste ano, reforçou o elenco, renovando com Rory McIlroy, além de roubar Jason Day da Adidas. A marca alemã, porém, tem Dustin Johnson, atual número 1 do ranking, entre seus contratados.

Apesar disso, em maio, a Adidas anunciou a venda de todas suas marcas de golfe. A companhia negociou TaylorMade, Adams Golf e Ashworth com o fundo de investimento de risco KPS Capital Partners em negócio de US$ 425 milhões (R$ 1,33 bilhão). A operação será finalizada até o fim do ano.

As razões para se desfazer do negócio podem ser encontradas no balanço da empresa. Em 2016, essa divisão faturou € 892 milhões (R$ 3,278 bilhões) ou 1,1% a menos do que no ano anterior. O faturamento da empresa chegou a € 19,291 bilhões (R$ 70,9 bilhões), o que representou um aumento de 14%. 


Notícia Adidas Nike Golfe Hóquei Material Esportivo Negócios Faturamento Lucro

Número do dia

206 milhões

De reais é a renda bruta de bilheteria da Arena Corinthians desde a sua inauguração, antes da Copa de 2014.

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Com Corinthians, Spotify esquenta briga entre aplicativos
2Dez empresas disputarão licitação para gerir comercializações da Conmebol
3Patrocinadora, Evonik compra parte de Borussia Dortmund por R$ 80 milhões
4 CBF confirma criação da Série D
5Vereador apresenta projeto de lei para São Paulo não perder CT em 2022
6Unicred faz 1ª campanha publicitária com Cesar Cielo
7Mayweather cobrará 25 milhões de dólares por uso de espaço em suas roupas
8Tom Brady esconde logotipo da Nike e reativa batalha de marcas na NFL
9Com investidores, Michael Jordan e Derek Jeter compram Miami Marlins
10Análise: Conhecer o cliente é a próxima tarefa dos clubes no Brasil